O melhor do entretenimento e cultura pop, na medida certa

Crítica: O Espetacular Homem-Aranha

Me desculpem o trocadilho, mas a melhor palavra pra se descrever O Espetacular Homem-Aranha é justamente a que tem no título do reboot: o filme é espetacular.

A história é aquela que todos nós conhecemos: o jovem Peter Parker (Andrew Garfield), um garoto meio na dele, que é bom com os estudos e é tímido, o que faz ele ser desajeitado com as meninas. Peter foi criado por seus tios, Ben (Martin Sheen) e May (Sally Field), depois que seus pais os deixaram, e logo depois morreram num acidente. Depois de tomar uma surra do valentão Flash Thompson (Chris Zylka) na escola, ele conhece e se encanta (como nós todos) pela bela Gwen Stacy (Emma Stone), boa aluna e assistente do Dr. Curt Connors (Rhys Ifans), que ele descobre ser um antigo parceiro do pai dele na poderosa Oscorp. Com as antigas anotações de seus pai em mãos, Peter visita as instalações da empresa e acaba picado por uma aranha geneticamente modificada, antigo projeto de Richard Parker (Campbell Scott). Mais tarde, já com os poderes aracnídeos, revela para Connors a solução de uma equação decisiva, dando início a uma experiência perigosa, que, combinada com a obsessão pela evolução dos humanos e orquestrada por desejos obscuros, transformam Connors no vilão Lagarto.

Como todo e bom reboot podemos ver novos elementos foram acrescentados ao filme, em relação à trilogia de Sam Raimi: sai a ruivinha Mary Jane e entra o primeiro amor de Peter, Gwen Stacy. O vilão também muda, e o Duende Verde dá lugar ao Lagarto. O foco da história do novo filme também é outro, a história não contada (como diziam os posters) dos pais de Peter – que era o que fazia os fãs ficarem com um pouco de receio em relação ao filme – além da parte “humana” e das relações dos personagens. Mas então começa o filme, e os meus temores (e o de muita gente por aí) se vão.

Acho que é bom começar essa crítica falando de um dos poucos erros do filme, e que é a razão de todo mundo não ter gostado do terceiro filme da trilogia passada. Como você percebeu pela sinopse ali em cima, tudo está interligado, desde o projeto dos pais, passando pela aranha que pica o Peter, até a criação do Lagarto – e isso é uma coisa que pode irritar os mais exigentes, que pode não deixar o filme crível. Outro coisa que não embala é a história dos pais do Peter. É uma coisa que nunca funcionou nos quadrinhos e que eu tão pouco vejo funcionando nos cinemas.

Porém, esses são, pra mim, os únicos erros do filme. Sério. É como se todo o resto funcionasse, e boa parte disso é graças ao diretor, Mark Webb (não é brincadeira, o diretor do filme do Aranha realmente se chama Webb). O cara, que ainda é iniciante em filmes de grande orçamento, é conhecido pelo ótimo (500) Dias Com Ela. Ou seja, toda cena que mostra uma relação mais íntima – seja entre Peter e Gwen ou entre Peter e os tios -, ou que mostra a construção de um personagem, são muito bem trabalhadas. Outra coisa que funciona são os personagens, e que me desculpem as pessoas que acham que Tobey Maguire vai ser pra sempre o Homem-Aranha. O cara é um ótimo ator, mas Andrew Garfield É o Homem-Aranha/Peter Parker definitivo. É o Aranha que eu cresci lendo, o Aranha que eu quero ver nos cinemas, um Peter que eu me identifico. E claro, nem preciso dizer que você vai se apaixonar pela Gwen de Emma Stone. Outros que se destacam é Rhys Ifans como Connors/Lagarto e Martin Sheen, como tio Ben.

Outras coisas que valem seu ingresso: a cena com Stan Lee; um Aranha brincalhão (como nos quadrinhos); o belo trabalho de câmera do diretor, que combinado com cenas do Aranha lutando e se balançando (que não são computação gráfica, como anteriormente, e que boa parte delas foram feito pelo próprio Garfield, diga-se de passagem), dão mais dinamismo ao filme.

Resumindo: O Espetacular Homem-Aranha é o mais próximo que temos de um filme de verdade do Homem-Aranha. Um filme que exalta só a parte herói, mas também tem foco em Peter Parker. Um filme que não mostra um SUPER-herói, mas só um cara que foi picada por uma aranha, ganhou poderes, e tenta ajudar o mundo, fazendo o que acha certo.

Nota – 9/10 – Espetacular Ótimo

Anúncios

4 Respostas

  1. Pingback: Estreias da Semana – 06 de Julho « Total Enter

  2. Preciso assistir ainda s:

    9 de julho de 2012 às 10:00 AM

  3. Ótimo texto parabéns! Fui sexta e uma coisa que me deixou empolgado foi como agora ele realmente tem a movimentação de uma aranha! E a forma dele esnobar os vilões!? Incrível mesmo! Os fatos acontecendo te causa uma empolgação. Não curti o cabelo do novo homem aranha… poxa o Peter Parker é nerd! O novo visual dá um ar de um cara descolado… o Torbey Maguire tem uma cara de nerd mesmo!..rs O vilão ficou muito bem feito! Torço e muito para que a Marvel faça uma franquia com cada filme dele e construa o projeto “Sinister Six”!

    9 de julho de 2012 às 11:26 PM

  4. Pingback: Crítica: Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge « Total Enter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s